5 Diferenças entre trabalhar em uma empresa tradicional X em Startup

Atualmente, com o mercado de Tecnologia da Informação aquecido e o número de startups crescendo *, muitos jovens que desejam iniciar carreira na área ou até mesmo profissionais mais experientes, mas que procuram seguir novos rumos na carreira, tentando por exemplo um novo negócio, acabam ficando na dúvida do ambiente de trabalho que será encontrado nas mais variadas empresas presentes no mercado.

Desta maneira, neste texto, abordarei as diferenças encontradas em um ambiente de trabalho de uma empresa já consolidada no mercado, comparado ao de pequenas e médias empresas que estão ainda batalhando para estabelecer seu espaço, levando em conta principalmente empresas no estilo startup.

Vale salientar que essa análise foi baseada em relatos de diversos colegas que trabalham com TI, em diferentes empresas, desde startups até as maiores companhias do mundo. Além disso, também levarei em conta a minha própria experiência aqui na Kingly Studio.

Logo, este texto não deve ser levado como regra e sim como um norte para pessoas que tem interesse em saber algumas características que diferenciam os tipos de empresas aqui citados.

Para melhor organizar o raciocínio, separei as principais diferenças encontradas, em 5 tópicos:

– Desenvolvimento Profissional

– Funções Desempenhadas

– Horários

– Remuneração e Benefícios

– Envolvimento Profissional

*30,4% entre março e dezembro de 2015, chegando a 4,1 mil empresas. Fonte: Associação Brasileira de Startups (ABStartups).

 

1- Desenvolvimento Profissional

Sobretudo para quem está dando os primeiros passos na carreira profissional, o desenvolvimento é uma das partes mais importantes, já que ainda não se tem muita experiência e a quantidade de conhecimentos e técnicas a serem adquiridas são imensas.

  • Ambiente corporativo:

Em uma empresa grande e já bem estabelecida no mercado, as tecnologias, métodos e técnicas, costumam estar bem consolidadas. Desta forma, a empresa já tem definida as suas regras de negócio necessárias para manter o sucesso, bastando assim, “apenas” repassar estas práticas aos seus funcionários.

Assim, em grandes corporações, principalmente para os que acabam de chegar na empresa, é muito comum que existam diversos treinamentos para que os funcionários aprendam e se adequem aos padrões implantados pela mesma.

Isso no geral costuma ser bom, já que torna mais rápido o aprendizado, dado que o conhecimento vem de certa maneira “mastigado”. Porém, este aspecto traz o risco de acabar acostumando algumas pessoas a depender deste tipo de aprendizado, algo possivelmente negativo, já que se eventualmente, no futuro, ela precise adquirir outro conhecimento sozinha, não estará tão apta, por não ter este costume obtido, o que pode ser um problema, ainda mais na área de tecnologia, onde temos que aprender a utilizar novas ferramentas constantemente.

  • Ambiente startup:

Ao contrário das grandes corporações, em empresas que estão começando, as tecnologias, métodos e técnicas, geralmente ainda não estão efetivamente enraizadas em suas práticas.

Uma startup tem como uma de suas características, a incerteza. Sendo assim, dificilmente você encontrará treinamentos dentro de uma empresa deste porte, já que a empresa ainda está criando suas raízes e se descobrindo (ou redescobrindo) junto com seus funcionários. É claro que se você precisar de ajuda, os seus colegas farão o possível para te atender, porém, nesse ambiente, as pessoas estão constantemente sobrecarregadas e correndo para “apagar incêndios”. Por isso, uma característica muito importante para quem deseja trabalhar em uma startup é ser extremamente proativo. Isso quer dizer que na maior parte das vezes, você vai estar com várias abas abertas no seu navegador, ralando para aprender algo novo e assim, implementar.

Se comparado às empresas maiores, o aprendizado em tecnologias específicas demoram mais, já que ser autodidata é mais necessário nesse caso, porém, isso te deixa muito mais preparado caso você precise aprender algo novo no futuro, por conta própria.

Além disso, muito provavelmente você terá que aprender a lidar com uma gama muito maior de tecnologias, se comparado ao meio corporativo, o que é um ponto positivo para o futuro da sua carreira, tendo em vista que o leque de conhecimentos adquiridos é mais abrangente, principalmente se tratando de quantidade e não necessariamente de aprofundamento em uma área específica.

 

2- Funções Desempenhadas

Para muitas pessoas, as funções a serem desempenhadas tratam do principal ponto ao se candidatar a uma vaga de emprego, já que é o que será de fato realizado na maior parte do tempo, além de ser tão fácil cair na rotina e acabar desanimando, caso as atividades sejam desinteressantes para quem as pratica.

  • Ambiente corporativo:

Devido ao grande porte das empresas, estas acabam sendo formadas por diversas áreas, com uma hierarquia bem definida.

Sendo assim, as funções desempenhadas por um funcionário neste tipo de empresa, costumam ser mais específicas, onde algumas vezes, não se tem nem muita noção de onde entra o trabalho elaborado, dado o tamanho do projeto em que se está inserido.

Assim, os funcionários acabam se especializando e se tornando muito bons em uma área, porém corre-se o risco do conhecimento acabar ficando restrito a ela. Além disso, a chance de acabar desanimando, por estar desempenhando sempre a mesma função é grande, o que pode ser um problema para pessoas que não se satisfazem com rotinas.

Outro ponto importante, é que pelo fato de ser uma empresa consolidada, pode acabar sendo também mais engessada, o que gera maior burocracia. Logo, se um funcionário tiver interesse em propor alguma idéia nova, mais profunda, possivelmente terá que passar por longas análises, discussões, crivos de superiores e outras burocracias da empresa, até que a mudança seja efetivamente realizada e colocada em prática, o que pode ser mais um ponto desanimador para os profissionais desse tipo de empresa.

  • Ambiente startup:

Sabe aquele tio, vizinho ou zelador faz-tudo, que conserta desde a fiação elétrica da casa até o vazamento da pia? Um funcionário de startup costuma ser parecido.

Neste tipo de empresa você aprende de tudo um pouco, podendo assim ajudar no marketing, desenvolvimento, UX, testes, planejamento, criação, entre diversas outras áreas.

Na Kingly Studio, por exemplo, eu trabalho sobretudo com desenvolvimento, mas também dou meus pitacos no planejamento, marketing, design, QA e mais recentemente comecei a elaborar e revisar textos para o nosso blog.

Além disso, outro ponto importante, é que por serem empresas de pequeno porte, as áreas não costumam ser bem definidas, muitas vezes não possuem hierarquias formalizadas, e apresentam uma estrutura horizontal de negócio. Dessa forma, em diversas empresas desse tipo, as tomadas de decisão acabam passando por grande parte dos funcionários.

Outro ponto positivo desse aspecto, é que as empresas não possuem tanta burocracia frente a mudanças, o que torna o ambiente muito mais dinâmico e suscetível a novas estratégias.

 

3- Horários

Para aqueles que prezam bastante por ter tempo para viajar e curtir com a família e com os amigos, o horário de trabalho pesa bastante na hora de escolher uma vaga.

  • Ambiente corporativo:

Horários mais bem definidos e restritos, costuma-se ter um horário fixo de trabalho, com ponto para bater, sem muitas variações.

  • Ambiente startup:

Horários mais flexíveis. Às vezes você vai entrar mais cedo e sair mais tarde no expediente, outras vezes, entrar mais tarde e sair mais cedo, algumas vezes conseguirá resolver suas tarefas rapidamente, outras, ficará até de madrugada se dedicando para terminar. Para quem está acostumado e gosta de rotinas, pode acabar não se adaptando a esse estilo.

 

4- Remuneração e benefícios

Este é um tópico que depende muito do tamanho, tipo, situação e política da empresa, entretanto, vou tentar passar uma visão de como normalmente é no geral. E lembre-se, mantenha-se extremamente atento aos contratos e acordos estabelecidos, pois além do salário, existem diversos tipos de benefícios.

  • Ambiente corporativo:

A remuneração costuma ser mais elevada se comparada a startups. Os funcionários deste tipo de empresa, geralmente, recebem mais benefícios, já que na maioria das vezes os contratos são regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Outro benefício que alegra muitos trabalhadores, principalmente de empresas da área financeira, é a tão adorada Participação nos Lucros e Resultados (PLR), a qual designa uma parcela dos lucros obtidos pela empresa, aos seus funcionários, gerando assim, uma boa renda a mais, além do salário. Vale lembrar que esse bônus, depende do desempenho da empresa em relação às suas metas anuais e também não é algo obrigatório a ser concedido.

Além disso, existem vários outros benefícios concedidos por algumas instituições, como por exemplo, aporte no plano de previdência, ou seja, você investe uma quantia na sua previdência e a empresa também investe uma parcela dessa quantia ou até o mesmo o valor integral.

Então, sempre analise minuciosamente o contrato com o seu empregador e tenha ciência de todos os benefícios que estão envolvidos na prestação do seu serviço, pois nem sempre a oferta com o melhor salário, vale mais a pena.

  • Ambiente startup:

No geral, startups não apresentam remuneração e benefícios tão bons quanto às instituições maiores, principalmente por grande parte dos empregados serem contratados como Pessoa Jurídica (PJ). Sendo assim, os funcionários não possuem tanta segurança financeira caso sejam demitidos ou então a empresa não vingue. No então, um ponto positivo, é que se a startup tiver grande sucesso, o céu é o limite. Tudo vai depender de qual a sua posição na startup, e qual o acordado com os sócios, já que apesar de não ser fácil, não é raro ver empresas pequenas tornarem-se extremamente lucrativas e passarem a valer milhões em pouco tempo.

 

5- Envolvimento Profissional

Um último ponto que acho realmente válido a ser tratado, mas que no entanto também é algo muito subjetivo, é o envolvimento profissional com a empresa na qual se trabalha.

Apesar de ser pessoal, gostaria de comentar o que percebo ao conversar com muitos amigos que trabalham em diversos tipos de empresas, sejam grandes instituições ou startups.

  • Ambiente corporativo:

Como possuem centenas e muitas vezes até milhares de funcionários, além de serem empresas tradicionais, que já existem a décadas ou até séculos, a relação acaba sendo um pouco diferente se comparada a startups.

O que eu sinto é que esses meus amigos, realmente vestem a camisa da empresa, sobretudo os que trabalham em banco. Eles normalmente mergulham de cabeça e na maioria dos casos sentem orgulho de trabalhar onde trabalham, isso claro, os que estão satisfeitos com o emprego. No entanto, essa relação me parece um pouco diferente de quando se trabalha em uma startup e tratarei disso a seguir.

  • Ambiente startup:

Talvez por serem poucos funcionários envolvidos e por se entrar na startup, relativamente no início da mesma, acaba-se por sentir um gostinho especial, de como se a empresa fosse nossa também.

Parece que você acaba se envolvendo muito mais e assim acaba sentindo na pele os resultados obtidos pela empresa, como se fosse um projeto próprio. Logo, você acaba criando uma amor pela coisa e as tarefas a serem realizadas não parecem chatas, não parece que estão sendo feitas por obrigação.

E isso é extremamente positivo, pois você acaba se sentindo animado e consequentemente se dedicando mais aos seus projetos, o que costuma trazer resultados melhores.

Para finalizar, acredito que por ser uma escolha tão subjetiva, vale a pena tentar identificar qual o seu perfil, listar quais características lhe agradam e conversar com o maior número de pessoas possível, para reunir uma boa base de experiências e assim ter idéia do que encaixa melhor com você.

Sendo assim, fica aqui a minha visão. Espero que tenha ajudado! 🙂

 

Até a próxima!

Ruan Cortes
Ruan Cortes

Estagiário, adora conhecimentos inúteis que provavelmente nunca usará e fã de sites que tocam musica.