7 diferenças cruciais entre desenvolvimento Web e Mobile

Web e Mobile são duas coisas bem diferentes. Então, é de se esperar que o desenvolvimento de aplicativos e sistemas para ambos seja diferente também. Criamos essa lista comparando as principais diferenças que você deve ter em mente ao lidar com sites e aplicativos.

1- Desenvolvimento para diversos aparelhos e plataformas

Ao desenvolver para mobile, é necessário levar em consideração os diversos tipos de aparelhos que existem no mercado. São diversos tamanhos de tela com resoluções diferentes no mercado e um aplicativo precisa ser adaptado para funcionar bem principalmente nos mais populares.

Com o desenvolvimento web este tipo de preocupação também existe, mas é mais facilmente contornado. A diferença da configuração entre aparelhos já não afeta tanto o desenvolvimento de aplicativos web, já que a maior parte dos monitores da atualidade possuem resolução padrão de 1600×900.

A maior preocupação aqui é desenvolver de acordo com as especificidades dos navegadores de internet onde os sistemas serão usados. Usar a especificação dos mais populares costuma ser suficiente.

 

2- Linguagens

Android e iOS são os principais sistemas operacionais de smartphones na atualidade.

Enquanto os apps para Android são desenvolvidos majoritariamente com Java, o iOS é desenvolvido em Swift, uma linguagem de programação criada pela própria Apple.

Por ter essa necessidade de se utilizar diferentes linguagens, acaba se tornando necessário criar dois aplicativos diferentes, sendo um para Android e outro para iOS, apesar de ambos terem as mesmas funcionalidades.

Para o desenvolvimento web existem vários tipos de linguagens que podem ser usadas. Na Kingly Studio, trabalhamos principalmente com PHP.

 

3- Diferentes usuários

Os usuários de mobile e web apresentam diferentes comportamentos.

Quando usamos o smartphone, temos pressa. Seja por estar usando um pacote de internet limitado ou dividindo a atenção com outros aplicativos, o usuário costuma não ter paciência com aplicativos que gastam muito tempo carregando funcionalidades. É importante que o aplicativo seja leve e o mais simples possível.

Ao usar um computador, a paciência tende a ser maior. Por isso, aqui podemos adicionar funções mais complexas para que o usuário tenha a experiência completa dos serviços.

Isso não significa que um aplicativo mobile não possa ter funções complexas ou um aplicativo web não possa ser mais simples, mas a prática nos mostra que os usuários cada vez tem dedicado menos tempo e paciência aos aplicativos. Portanto, essa pode ser a característica decisiva para que o usuário decida se mantém o aplicativo instalado ou não.

 

4- Suporte a formatos antigos X uso pela web

Devido à grande quantidade de aplicativos que necessitam fazer atualizações e seus dispositivos com número limitado de memória, muitos usuários acabam não fazendo a atualização em todos os seus aplicativos. Por isso, acaba sendo necessário manter o suporte de algumas versões antigas dos aplicativos. Há a possibilidade de forçar uma atualização, mas não é viável fazer uso dela em atualizações que não sejam críticas para o app.

Na web não há esse problema pois qualquer atualização já é carregada na hora e quando se acessa a página já podemos usar as novas funcionalidades. O que podemos encontrar são erros em algumas mudanças no visual, mas com a atualização dos navegadores, esses problemas podem ser facilmente resolvidos.

 

5- De rankings de pesquisa para classificações na loja

Os sites e web apps são feitos para ter um bom posicionamento nos buscadores (Google, Bing, etc.) através de SEO, que é a sigla para “Search Engine Optimization” (traduzindo, “otimização para mecanismos de busca”) e é um conjunto de estratégias utilizadas para aumentar os acessos orgânicos nos sites de busca, ou seja, os acessos que não vem de anúncios pagos.

Enquanto isso, o foco dos apps mobile é em receber boas notas nas lojas de app. Pelo fato dessa nota ser cumulativa com todas as versões do app lançadas, é necessário que todas funcionem bem. Isso significa que, mesmo que não criamos um aplicativo cheio de funcionalidades de uma vez, é importante que, mesmo as primeiras versões funcionem bem, ainda que de forma limitada.

 

6- Erro 404 ao app “quebrado”

Quando ocorre algum erro no site que estamos visitando, ele se manifesta pelo aparecimento de uma página de erro, como o famoso “Error 404” que você já deve ter visto ao acessar (sem querer ou não) uma página que não existe. Estes tipos de erros podem ser consertados para os próximos acessos.

Já nos apps mobile, pelo fato de a maior parte deles ser instalada no aparelho, quando acontece algum erro, só é possível realizar o conserto através de atualizações nas lojas de apps. Este problema pode ser grave, pois caso o seu aplicativo não tenha grande importância para o usuário ou o erro não seja rapidamente consertado, ele pode simplesmente desinstalar o app do seu smartphone ao invés de fazer a atualização.

 

7- O poder da câmera e do GPS

Os aplicativos mobile podem fazer uso de outras funções do smartphone com facilidade, como o GPS e a câmera, tornando as possibilidades de uso nos aplicativos muito mais poderosas.

Apesar de os aparelhos desktop também possuírem câmera e gps, o uso deles é muito menor que nos smartphones, até pelo fato de dificilmente usarmos um computador ou mesmo um notebook em movimento.

Leia mais:
Mas, o que é Desenvolvimento Web mesmo?
E o Desenvolvimento Mobile, é o que?

Gabriel Andrade

Curioso desde criança, fascinado pelo marketing desde a faculdade e pronto pra ajudar desde sempre. Grandes desafios e melhorar a vida das pessoas é o que me faz feliz.